Arquivo da tag: publicidade propaganda

A FARSA DO FIM DOS QUADRINHOS NACIONAIS ou porquê não somos todos alienados a serviço de interesses mercantilistas

Texto retirado do site: Actions e Comics
swturmadamonica
O Tio Ultimate aqui participou ativamente das discussões no DPDC do ministério da Justiça sobre a nefasta publicidade infantil no nosso País ( como também a nefasta publicidade de medicamentos )  e fiquei surpreso com a tentativa de ludibriar a população com falsas teorias da conspiração que só têm o objetivo de beneficiar uma minoria de exploradores e riquíssimos empresários. Ao iniciar a construção de um artigo me deparei com o excelente artigo escrito por noQuadrinheiros e resolvi o reproduzir aqui com os devidos créditos:

Nessa semana uma notícia estapafúrdia e idiota está se propagando entre os fãs de quadrinhos. A origem está na Resolução n.163 de 13 março de 2014 do Conselho Nacional de Direitos da Criança e do Adolescente (CONANDA), que dispõe sobre a abusividade do direcionamento de publicidade e comunicação mercadológica à criança e ao adolescente a qual o tio Ultimate aqui considera um rande avanço na proteção de nossas crianças. Rapidamente espalharam-se notícias afirmando que a resolução determinaria o fim dos quadrinhos nacionais, o fim dos quadrinhos, o fim dos desenhos infantis na televisão e demais previsões apocalípticas, o que é uma mentira deslavada e absurda!
Infelizmente nos tempos de googlelização as pessoas leem as três primeiras linhas de qualquer coisa e param por aí, já com a opinião a respeito formada. E se você chegou até aqui sua pergunta foi a mesma que a minha quando li tais opiniões: elas têm algum tipo de fundamento?
Bom, uma notícia que sintetiza essa visão apocalíptica com algum fundamento e também com algum exagero pode ser vista aqui. O raciocínio é o seguinte: todo e qualquer produto (seja um quadrinho, um desenho etc.) necessita de propaganda para poder vender no mercado, logo, se não há propaganda, não há como o produto se manter no mercado. A resolução, segundo o texto citado, é muito ampla e portanto tudo poderia ser considerado como propaganda abusiva, até mesmo capas de gibis etc. Logo, sem propaganda permitida, os quadrinhos nacionais e desenhos estariam fadados ao fim, uma vez que não poderiam mais ser divulgados. A mesma sentença valeria para os desenhos animados, dada a falta de anunciantes infantis, e não seriam mais rentáveis para os canais de televisão. O cenário da matéria ainda é mais sombrio: seria também o fim de bonecos colecionáveis etc.
Isso é correto? Vejamos.
A resolução, que você pode ler por si mesmo aqui, define comunicação mercadológica “toda e qualquer atividade de comunicação comercial, inclusive publicidade, para a divulgação de produtos, serviços, marcas e empresas, independentemente do suporte, da mídia, ou do meio utilizado”. Essa definição de comunicação mercadológica é bem ampla e deu margem às previsões apocalípticas da matéria citada. Porém, o que não é citado é que a resolução dispõe sobre aabusividade da comunicação mercadológica, e também define o que é consideradoabusivo:
 
“Considera-se abusiva, em razão da política nacional de atendimento da criança e do adolescente, a prática do direcionamento de publicidade e de comunicação mercadológica à criança, com a intenção de persuadi-la para o consumo de qualquer produto ou serviço e utilizando-se, dentre outros, dos seguintes aspectos:
 
I – linguagem infantil, efeitos especiais e excesso de cores;
II – trilhas sonoras de músicas infantis ou cantadas por vozes de criança;
III – representação de criança;
IV – pessoas ou celebridades com apelo ao público infantil;
V – personagens ou apresentadores infantis;
VI – desenho animado ou de animação;
VII – bonecos ou similares;
VIII – promoção com distribuição de prêmios ou de brindes colecionáveis ou com apelos ao público infantil; e
IX – promoção com competições ou jogos com apelo ao público infantil”.
 
A resolução é um tanto ampla também, especialmente porque utiliza o termo “dentre outros”. Porém, ao definir minimamente o que pode ser considerado abusivo, já está a própria brecha para que toda e qualquer propaganda NÃO SEJA CONSIDERADA ABUSIVA.
Além do mais é a publicidade voltada para a criança e ao adolescente é que vai ser de alguma forma regulamentada e não toda e qualquer  publicidade de produtos voltados para a criança e adolescente. Qual a diferença? Simples. Uma propaganda, digamos sobre um tênis do Superman será voltada ao adulto, ou seja, aos responsáveis pela criança (que em última instância é quem decide sobre o que ela irá consumir) e não à criança. Portanto, caso a resolução seja colocada em prática, é mais correto dizer que tais propagandas não vão simplesmente acabar, mas serão redirecionadas aos responsáveis por crianças e adolescentes.
Maurício de Sousa, que dispensa maiores apresentações, criticou abertamente a resolução e é óbvio que as empresas que lidam com produtos e publicidade para crianças e adolescentes estão temerosas. Mônica de Sousa tentou vincular a resolução a essa visão apocalíptica, mostrando não só desconhecimento sobre a resolução como obviamente defendendo os interesses da empresa de seu pai, que você pode ler na íntegra aqui.
Até entendo que nosso passado marcado por duas ditaduras nos deixe inquietos em relação à qualquer coisa que pareça censura, mas tem algum fundamento dizer que o mercado de quadrinhos nacionais, de desenhos, de produtos infanto-juvenis vai mesmo acabar? É óbvio que não. O máximo que irá acontecer é a mudança de viés dessas propagandas e, portanto, a viabilidade mercadológica de produtos voltados para crianças e adolescentes está assegurada. Sem razão para prever o fim dos quadrinhos nacionais e demais bobagens.
Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Notícias

Web Série Ninho: “Saber tudo que tem, faz bem”

Por Ada Bento, Camila Araújo e Camila Leão.

NINHO-SABER-TUDO-QUE-TEM-FAZ-BEMA Nestlé desenvolveu uma web série de 4 episódios no YouTube que fala sobre o processo de produção do Leite Ninho. Cada episódio conta com a participação de uma mãe que trabalha na empresa atuando no processo de desenvolvimento do produto e outra que é consumidora. A ideia do projeto é que a empresa explique para o consumidor como o produto é feito, de forma que a mãe possa confiar nele como sendo uma boa opção para seu filho. Se você ainda não assistiu à série, seguem os vídeos:

Essa estratégia de marketing é bastante eficiente, visto que leva as mães consumidoras a acreditarem que o produto é o melhor para seus filhos, já que outras mães, que tem as mesmas preocupações e cuidados e que conhecem de perto o processo de fabricação do produto, também fazem essa escolha.

Uma técnica utilizada durante essa web série, é o Green/Health Washing – todo o processo de produção apresentado, leva em consideração o bem estar dos animais e o cuidado com a natureza. No caso específico do Leite Ninho, não temos como afirmar se as coisas acontecem realmente como são apresentadas nos comerciais, porém de maneira geral, o que sabemos (principalmente através de documentários e textos sobre o tema) é que para as grandes empresas a única coisa que importa é maior produção e consequentemente, maior lucro.

Os vídeos abaixo ilustram bem esse tema:

food ind

Clique para assistir ao vídeo.

a carne é fraca

Clique para assistir ao vídeo.

 

OBS: O segundo vídeo contém imagens chocantes sobre o tratamento de animais nessas grandes empresas. Além disso, apresenta um discurso voltado para o vegetarianismo. Nosso objetivo não é convencer ninguém de que essa é a melhor opção, mas sim gerar uma reflexão sobre nosso sistema alimentar e sobre o cuidado com os animais.

O Leite Ninho

leite-em-po-integral-ninho-fortificado-400g-nestle-37c8f2

Pensando no produto e nas qualidade que ele alega: é mesmo necessário o consumo de um leite fortificado, como é o caso do Leite Ninho?

Se os nutrientes não estiverem em uma forma biodisponível, ou seja, que garantam uma boa absorção pelo intestino, de nada adianta essa fortificação. O ferro presente, por exemplo, está na forma de pirofosfato férrico, que apresenta biodisponibilidade inferior à do sulfato ferroso (uma outra forma de suplemento de ferro, usualmente recomendada por médicos, e que ainda não é a mais biodisponível).

Além disso, o leite não fará milagre. Se a criança não tem uma alimentação saudável, esses nutrientes adicionados não irão suprir a necessidade.

Outro ponto que vale ressaltar é que a adição desses micronutrientes no leite pode induzir as mães a acreditarem que a criança já estará consumindo a quantidade suficiente de micronutrientes e não incetivar o consumo de frutas e hortaliças.

Desta forma, é possível utilizar um leite comum – o de caixinha, pasteurizado, ou o de saquinho, por exemplo – e incentivar hábitos alimentares saudáveis.

Vale lembrar que o Leite Ninho é recomendado apenas para crianças a partir de 6 meses. É importante que a criança seja amamentada exclusivamente pelo menos até os 6 meses de vida e, caso seja possível, de forma complementar até os 2 anos ou mais. Mas sempre converse com seu nutricionista e seu pediatra para avaliar qual é a melhor opção para seu filho.

 

2 Comentários

Arquivado em Notícias

As Armas Secretas do Marketing de Alimentos

Por Ada Bento, Camila Araújo e Camila Leão.

Já faz muito tempo que o marketing deixou de ser apenas propagandas inocentes sobre determinado produto ou conceito. Atualmente, ele pode ser definido mais como uma ciência, que estuda e conhece seu público alvo e sabe quais estratégias usar para convencê-lo. O marketing pode convencer milhões de pessoas sobre as ideias e realidades mais absurdas, provando que estas são as melhores opções que você poderia fazer.

food ind

Clique na imagem para assistir o vídeo.

Este pequeno vídeo tem uma poderosa mensagem que pode ajudar as pessoas a compreender sobre a forma como são bombardeadas diariamente por profissionais ultra capacitados, com o intuito de consumir todo tipo de produto industrializado, que não faz nenhum bem à saúde – individual ou do planeta.

É um vídeo fascinante. Tanto pela maneira como foi produzido (e conduzido) quanto pela reação da plateia com as informações que eram passadas. As expressões faciais e a falta de aplausos ao final da apresentação mostra o quanto a plateia ficou chocada com as informações.

De fato, nada torna a agricultura industrializada aceitável. Para mais informações, visite o site da organização que luta para combater essa questão.

Com informações de: awebic.com

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

Pé de Danio?

Por Camila Araújo e Camila Leão.

Já viram a nova publicidade do iogurte Danio da Danone?

pede danio

O que você pensa quando vê um anúncio assim? Iogurtes crescendo em árvores?

Esse tipo de publicidade leva o consumidor a acreditar que o produto em questão é natural, pois se o iogurte está na árvore, ele possui ingredientes naturais ou até a mesma naturalidade de uma fruta, certo? ERRADO!

Primeiramente, vale ressaltar que o iogurte (como já é de conhecimento de todos, mas não custa nada lembrar) é um alimento preparado a base de leite, ou seja, a imagem já pode ser confusa ao associá-lo a uma árvore.

Depois, as versões do produto que “são de fruta”, provavelmente tem muito pouco de fruta mesmo – a fruta está presente no formato de calda, e apesar de ser o primeiro ingrediente da lista dessa “calda” ainda assim acreditamos que não esteja presente em quantidades muito significativas para oferecer algum benefício.

No caso dos Danios com sabores de frutas, estes estão muito longe do conceito de natural! Vamos dar uma olhada na lista de ingredientes:

danio morango

Clique na imagem para ampliar.

São 22 ingredientes, sendo vários deles aditivos alimentares, como corantes, espessantes e conservantes.

Já a versão tradicional, possui menos ingredientes em sua lista, quando comparado à versão com fruta:

danio tradicional

Clique na imagem para ampliar.

Entretanto, ainda possui açúcar e alguns aditivos que poderiam ser evitados. Como já dissemos inúmeras vezes, quanto mais natural um produto for e a menor a sua lista de ingredientes, melhor! Encontramos uma opção industrializada mais interessante – os iogurtes naturais. Compare as listas de ingredientes abaixo com a do Danio.

Slide1 Slide2

A lista de ingredientes dos iogurtes naturais é bem menor, perceberam? Para muitas pessoas, o sabor desta versão pode não ser muito agradável (normalmente eles são bem azedinhos), porém uma ótima opção é batê-los com frutas e se ainda assim sentir necessidade, adoçar com um pouquinho de mel ou açúcar mascavo (lembrando da grande vantagem que é poder escolher as  quantidades).

iogurte-caseiro-dieta-blog-da-mimis-michelle-franzoni_-5

Outra opção que pode ser interessante é preparar o iogurte em casa! Além de retomar a importância de “ir para a cozinha”, esse momento pode ser de integração com a família, por exemplo, com a participação das crianças no processo. Ah, e vale lembrar que preparar em casa custa bem menos do que já comprar pronto.

– Confira uma receita no Blog da Mimis.

2 Comentários

Arquivado em Notícias

Danoninho: leite e fruta?

Por Camila Araújo e Camila Leão. 

Vocês já viram a nova propaganda do Danoninho?

dn

Clique na imagem para ver o vídeo.

Ela fala que o Danoninho possui “o cálcio do leite”, “a vitamina e a fruta”, além da “energia pra brincar”. Olhando assim, não parece nada demais – “Ah, então o Danoninho e os petit suisses em geral são uma mistura de leite e fruta”. Mas não é bem por aí. De onde vem aquela consistência e o sabor docinho, já pararam pra pensar? Então vamos observar a sua lista de ingredientes para analisar melhor:

danoninho - lista de ingredientes

Clique na imagem para ampliar

“Mas espera aí, não era só leite e morango?”

Na verdade, não. Basta observar essa lista com 30 ingredientes – e não apenas 2, como somos levamos a pensar com um tipo de propaganda como essa. Além do fato de a propaganda ser direcionada ao público infantil (que pode usar a desculpa de que o produto é saudável e ficar pedindo aos pais insistentemente, porque viu “passando na TV”), ela ainda a passa uma mensagem enganosa para os pais desavisados, que não conferem as informações ali passadas com as informações dos rótulos.

Além disso, na propaganda a criança diz que o danoninho tem “a vitamina e a fruta”, porém quando prestamos atenção na lista de ingredientes, vemos que de morango só tem a polpa – provavelmente em uma pequena quantidade. Quanto às vitaminas, todas são adicionadas artificialmente.

Aí os pais se perguntam: “Nossa, mas meu filho gosta tanto de danoninho, o que eu faço?”

Para ajudá-los nesse momento, o pessoal do Fechando o Zíper e a Thais Ventura, responsável pelo blog As delícias do Dudu, fizeram o vídeo abaixo, que além de ensinar uma receita de Petit Suisse caseiro, ainda compara essa versão com a industrializada:

fz

Clique na imagem para ver o vídeo.

Então fica mais uma vez o lembrete: não confie nas propagandas e sempre confira os rótulos dos produtos que você deseja consumir. E melhor ainda para sua saúde e de seus filhos, se puder preparar receitas em casa, com ingredientes que você teria na sua cozinha, prepare!

2 Comentários

Arquivado em Notícias

Ceia da Árvore – Sadia #EraSóOQueFaltava

Por Camila Araújo e Camila Leão.

Navegando pela Internet em busca de novidades sobre alimentação e a mídia, encontramos o seguinte relato:

“Acabei de assistir a um comercial que diz que existe o dia oficial de armar a árvore de natal. E para o ritual em família ser completo deve existir uma ceia. Não qualquer ceia, mas a ~ Ceia da Árvore ~ ou seja, uma ceia com um peru da Sadia. O mercado está criando um dia para oficializar as celebrações natalinas. Sim, meus caros, porque comer peru só no natal não basta. Devemos consumir peru também no dia ~oficial de montar a árvore de natal~.
Não tô bege não. Tô roxa. De raiva.
A cara de pau dessa gente senhores, não conhece limites.”

(Por Balzaca Materna)

Fomos em busca da nova campanha da sadia para saber um pouco mais e descobrimos que existe até um site dedicado somente para ela! Entre as várias informações apresentadas na página, destacamos o texto de “boas vindas”, o qual explica a ideia da campanha e o vídeo de divulgação:

ceia da arvore

#EraSóOQueFaltava!

Em entrevista à revista Meio e Mensagem, a Sadia justificou que poucos sabem a data certa de montar a árvore de natal e que esta faz parte da tradição cristã, assim como o próprio dia 25 de dezembro. Porém, a verdade é que além de o comércio descaracterizar o verdadeiro objetivo do Natal, tornando-o nada mais que uma data comercial, não satisfeitos com o aumento absurdo de vendas nesse período, agora eles estão inventando um “segundo natal”.

A ideia começa com um “dia da ceia de árvore”, no qual já inseriram a obrigação de realizar uma prévia da ceia do dia 25. Já pensou se a ideia pega, os outros setores do comércio gostam e resolvem estimular uma prévia da troca de presentes também? Não seria nada mal para a indústria de brinquedos, adicionar mais uma data “comemorativa” na qual os pais se sentissem obrigados a comprar presentes para as crianças.

O PropagaNUT concorda com a opinião da Balzaca Materna. O dia de montar a árvore (caso esta data realmente seja representada por um dia fixo), deve ser o dia de montar a árvore, e não uma prévia do tão esperado Natal!

12 Comentários

Arquivado em Notícias

O Marketing de Alimentos e a Saúde Infantil

Por Camila Araújo e Camila Leão.

O que você acha no marketing de alimentos e bebidas dirigido às crianças? O site “caçadores de mitos sobre a comida” (Food MythBusters) traz uma reflexão sobre o conflito entre marketing de alimentos e o consumo de alimentos saudáveis e sobre a influência deste nos hábitos alimentares de crianças e adolescentes:

As grandes empresas de alimentos e bebidas gastam cerca de 2 bilhões ao ano com publicidade, para dizer às crianças e adolescentes o que elas devem comer, além de promoverem promoções e patrocínios.

Nos EUA as cadeias de fast food estão tomando o lugar das mercearias e mercados, reduzindo a disponibilidade de opções alimentares saudáveis.

Assustador? Com certeza, mas juntos, podemos trabalhar para reduzir este marketing predatório e levantar a bandeira de alimentos reais. Acreditamos que o marketing dirigido a crianças e adolescentes é uma crise de saúde pública!

Fonte: logo

3 Comentários

Arquivado em Notícias