Arquivo da tag: Coca-cola

Entenda os Açúcares e a Saúde segundo a Coca-Cola

Por Ada Bento e Camila Araújo

Recentemente o PropagaNUT recebeu um e-mail da Coca-Cola sobre a importância do açúcar para saúde:

instituto de bebidas coca-cola

O email dá acesso a um link com um texto que aborda os diversos mecanismos em que há envolvimento do açúcar e a importância desse nutriente. Destacamos algumas partes para reflexão:

QUALIDADE NA DIETA

“Em seu exame de dados relacionados à ingestão de açúcares e micronutrientes para o relatório Dietary Reference Intakes (DRI) de 2002 sobre carboidratos na dieta, o Institute of Medicine dos EUA descobriu que a ingestão muito alta ou muito baixa de açúcares adicionados estava associada à diminuição da ingestão de micronutrientes. O relatório sugeriu um nível de ingestão de 25% ou menos de calorias (energia) de açúcares adicionados à dieta total, baseado nos dados que mostraram ingestão diminuída de alguns micronutrientes em alguns grupos populacionais excedendo esse nível.”

Quando se fala sobre “açúcares”, podemos pensar em “carboidratos”. Os carboidratos são os componentes dos alimentos cuja principal função é fornecer a energia para as células do corpo, principalmente do cérebro. São encontrados em maior quantidade em massas, arroz, sacarose (ou açúcar de mesa, que é adicionado em bebidas ou como ingrediente em receitas), mel, pães, farinhas, tubérculos (como batata, mandioca e inhame) e doces em geral (Fonte: Manual de orientação aos consumidores/ Anvisa). Contudo, pequenas e médias quantidades de carboidratos também podem ser encontradas em alimentos frescos, como frutas e vegetais.

Se pensarmos que uma pessoa tem um consumo moderado de carboidratos provenientes de frutas, muito dificilmente ela terá um prejuízo no aporte de nutrientes. Contudo, se uma pessoa tiver um consumo moderado de alimentos ricos em açúcar (sacarose), como é o caso de refrigerantes, muito provavelmente ela terá um déficit no consumo de nutrientes. Desta forma, se uma pessoa tiver um consumo exagerado de alimentos ricos em sacarose, as chances de deficiências nutricionais será grande.

CONTROLE DE PESO

“O relatório assinalou ainda que “[a] distribuição de macronutrientes na dieta de uma pessoa não é a força motriz por trás da atual epidemia de obesidade” e que “não há proporção ideal de gordura, carboidratos e proteínas na dieta para manter um peso corporal saudável, para perder peso ou para evitar o ganho de peso após a perda de peso. É a quantidade total de calorias ingeridas que é essencial.” Além disso, o relatório afirma que se o “valor calórico total é mantido constante, há pouco suporte para quaisquer efeitos sobre o consumo de energia e o peso corporal devido às calorias consumidas sob a forma líquida ou sólida. “

Será então que se consumíssemos 1000 calorias de Coca-Cola em um dia, seria a mesma coisa que se consumíssemos essas 1000 calorias provenientes de uma alimentação saudável? A resposta é não! Uma dieta balanceada é essencial para a perda de peso saudável, por isso, além da quantidade total de calorias é importante sim que haja uma distribuição equilibrada de macronutrientes na dieta e uma boa qualidade geral da alimentação.

DIABETES

“As causas do diabetes continuam a ser um mistério, embora os fatores genéticos e ambientais pareçam desempenhar um papel importante. A obesidade e a falta de exercícios são importantes na suscetibilidade ao diabetes tipo 2. Curiosamente, os açúcares não estão “fora dos limites ” para as pessoas com diabetes. Atualmente as recomendações nutricionais da American Diabetes Association (ADA) não fornecem diretrizes específicas para a ingestão de açúcares, exceto para observar que os açúcares e outros carboidratos podem ser substituídos um pelo outro em uma base de grama por grama”

No caso do diabetes, é importante destacar que fontes alimentares ricas em açúcar, como é o caso de refrigerantes, aumentam a glicemia muito rapidamente, de forma que as pessoas com diabetes não conseguem metabolizar esse excesso de açúcar de maneira eficiente, gerando os quadros de hiperglicemia e piorando a situação.

Qual a real intenção dessa empresa ao elaborar textos desses tipo? Divulgar informações científicas sobre saúde ou amenizar o seu lado, já que as principais críticas quanto ao seu produto mais famoso é o teor de açúcar?

Apesar de se respaldarem em literaturas científicas, vale destacar o provável conflito de interesse de algumas publicações e a interpretação tendenciosa, realizada pela Coca-Cola, sobre as publicações mais sérias.

Por definição, conflito de interesse é um conjunto de condições que interferem em um julgamento, de forma que um interesse primário, seja comprometido em detrimento de um secundário. Por isso, devemos ficar atentos àquilo que está sendo divulgado, pois por trás de um texto bem elaborado e com referências cientifícas, pode haver outros interesses diferentes daqueles que pensamos ser o primário.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

Campanha Del Valle Kapo #EraSóOQueFaltava

Por Camila Araújo, Camila Leão e Maína Pereira.

 
del_valle_kapo_campanhaA nova campanha publicitária do refresco Del Valle Kapo no canal GNT está utilizando uma estratégia de marketing bastante dúbia: mães famosas estão dando dicas de como fazer os filhos consumirem frutas. As três peças da campanha ressaltam a relação da criança com a família e a alimentação por meio do incentivo a adoção de uma abordagem parental que foque na diversão em consumir alimentos saudáveis ao invés da imposição.

Outros aspectos destacados são: o papel das mães em ser o exemplo de alimentação saudável para os filhos, a utilização de atividades lúdicas que proporcionem interesse em experimentar frutas diferentes e a abordagem do sistema alimentar ao incentivar a produção e contato com alimentos que podem ser cultivados em casa.

carinho kappoVale ressaltar ainda que, como já dissemos em outro post, relacionar o consumo de alimentos com aspectos afetivos também é uma estratégia de marketing que vem sendo bastante explorada pelas empresas. “O segredo é carinho”, reforçado pela campanha, retrata isso muito bem.

Outro grande problema é associar o consumo deste refresco, com altos teores de açúcar e com aditivos, como substituto do consumo de frutas e como uma opção mais divertida para as refeições.

Na verdade, em nenhum momento fala-se do suco; apenas no final, ao usar “seu filho vai curtir as frutas com Del Valle Kapo”. Depois de dar dicas super saudáveis, a publicidade termina dando a entender que: “toda essa diversão só acontece se for com o Kapo”…

Além disso, vale ressaltar que em nenhuma das peças foram utilizadas as crianças como personagens principais da campanha; elas apenas a integram como “coadjuvantes”, com a participação por meio de fotos que as identifiquem como “filho” da Astrid, da Cynthia ou da Diana. Será que isso foi proposital? Pensando em toda essa discussão da regulamentação da publicidade, em que existe a ideia de defender a publicidade direcionada aos pais e não às crianças, fica a dúvida: o fato de não existirem crianças propriamente ditas no vídeo poderia ser uma estratégia da marca/empresa para transmitir uma imagem de “politicamente correta” já que a campanha é claramente direcionada aos pais e não à criança (mesmo que seja um produto para crianças)?

Vamos à resposta: em maio 2013 a Coca-Cola se comprometeu a fazer um “marketing responsável” e assumiu publicamente que não faria mais propagandas voltadas para crianças com menos de 12 anos de idade. Entretanto, de acordo com informações divulgadas sobre esta campanha, a mesma teria começado em junho, com a exibição da peça “uva em apuros”, a qual é certamente direcionada para o público infantil.

Outro aspecto que merece destaque é o fato de que na campanha com as apresentadoras do canal GNT, o marketing realizado através da televisão foi voltado para os pais, porém a embalagem (outra importante forma de marketing – apesar de não ser reconhecida pela ANVISA como tal) é direcionada para a criança.

Avaliação Nutricional do Kapo

Ao consultar o site da marca, verifica-se que a linha Del Valle Kapo conta com duas opções de bebida: as bebidas de frutas (refrescos) e os néctares. Como já foi dito aqui, existe uma diferença entre esses dois tipos de bebidas. Uma das principais diferenças entre elas é o teor mínimo de polpa (isto é, da fruta em si) que cada uma precisa ter. O suco é o que tem a maior concentração. Em seguida vem o néctar e, por último, o refresco. Entretanto, esses percentuais mínimos variam caso a caso, já que cada fruta tem uma particularidade.

Sabe-se que a presença de alguns ingredientes utilizados neste tipo de produto mascaram o verdadeiro sabor da fruta. Ou seja, consumir o refresco Kapo não incentiva as crianças a consumirem frutas in natura. Muito pelo contrário: podem até fazer com que elas tenham mais dificuldade em consumí-las, visto que não serão tão doces quanto a bebida.

Para agravar ainda mais o problema dessa publicidade, as bebidas apresentadas são os refrescos – com os maiores teores de açúcar e menores teores da fruta em si.

A figura abaixo ilustra a composição de uma dessas bebidas de fruta:

kappo abacaxi -

Ao observar a lista de ingredientes, é possível perceber que o produto conta com açúcar (em maior quantidade) e sucos de maçã, laranja, uva, abacaxi e maracujá, além dos nutrientes artificialmente presentes – já que “colocar” as frutas dentro da caixinha faz elas perderem a maioria de seus nutrientes.

Ora, se isso é uma bebida mista, que conta com essa variedade de sabores de suco, por que defini-lo como “sabor abacaxi”, se ele é um dos últimos da lista de ingredientes? Por conta do “aroma sintético idêntico ao natural”?

Esse fato reforça ainda mais que a bebida Kapo NÃO substitui uma fruta. Sendo que a propaganda traz, portanto, uma informação confusa e enganosa, tanto para as crianças quanto para as mães.

O consumo de frutas por crianças é extremamente importante para a saúde, porém é algo pouco incentivado. Propagandas como esta, ao invés de ajudar, com certeza só atrapalham no estímulo ao consumo de frutas e à adoção de uma boa alimentação.

 

Se você ainda não viu a campanha, seguem os vídeos abaixo:

1 comentário

Arquivado em Notícias

Novidades 2014 da Coca-Cola

Por Camila Araújo e Camila Leão.

Para iniciar as postagens de 2014 no blog, resolvemos começar com a campanha de Ano Novo da Coca-Cola. A empresa lançou a “Máquina dos Desejos de Ano Novo” – a pessoa escolhe quais são os seus desejos para 2014 e a máquina gera uma imagem com os seus votos, para ser utilizada como fundo de tela do computador ou celular.

image001

Imagina se uma pessoa, que gosta muito do refrigerante – um viciado nesta bebida, como é comum vermos por aí – coloca um plano de fundo desses… Será que ela não vai ter vontade de consumir uma Coca-Cola sempre que olhar para a imagem?

Além disso, vale ressaltar a estratégia de criar um vínculo afetivo e de coisas boas associadas à marca. A Coca-Cola usa sempre essa estratégia e faz isso com muita propriedade.

Outro exemplo de campanha na qual essa associação foi feita, é nova campanha da Coca-Cola Life, lançada na Argentina, a qual mostra o produto em uma atmosfera  calorosa e aconchegante com a saga de um casal que enfrenta a chegada do primeiro filho.

A publicidade mostra o refrigerante como “companhia” em bons momentos, associado à imagem de uma família feliz e até mesmo como uma válvula de escape – em momentos de estresse do pai com as bagunças do filho, o consumo da bebida traz o relaxamento; ao dar a notícia de que está grávida novamente, a esposa leva junto uma Coca Life, como um forma de levar mais “alegria” e deixar o momento mais prazeroso.

cocalife

Além disso, esse tipo de publicidade pode confundir os pais, visto que a bebida é apresentada como uma versão mais saudável da original, utilizando uma criança como personagem principal. Isso pode levar os pais a crer que esta versão da bebida pode ser uma opção para o público infantil, quando sabemos que na verdade, o excesso de açúcar é só mais um dos problemas associados ao consumo desta bebida. Outros exemplos são: a quantidade de sódio, de corantes (inclusive o famoso caramelo IV), a falta de nutrientes, a acidez e etc.

Como vemos, o ano mudou, mas as estratégias da Coca-Cola irão continuar as mesmas…

1 comentário

Arquivado em Notícias

Um Novo Conceito de Hidratação

Por Camila Araújo e Camila Leão.

Instituto de Bebidas para a Saúde e Bem-Estar da The Coca-Cola Company conversou com “a especialista em hidratação Ann Grandjean” e nos trouxe a seguinte informação:

coca-cola2

Muitas pessoas acham que a água pura hidrata mais do que outras bebidas. Isso é verdade?

Dra. Grandjean: Não. A ideia de que beber água é essencial para manter o estado de hidratação é um equívoco comum. Por exemplo, muitas pessoas que viajam bastante já me perguntaram como podem continuar hidratadas quando nem sempre há fácil acesso à água. Na verdade, essa premissa, em parte, estimulou o meu interesse e de meus colegas do Center for Human Nutrition a estudar se existe uma diferença na manutenção do estado de hidratação de acordo com os tipos de bebidas consumidas.

Em nosso estudo, participaram voluntários saudáveis em dois testes separados, que só se diferenciavam pelos tipos de bebidas consumidas. Durante um teste, um terço do volume de líquido total consumido foi água pura e dois terços foram uma mistura de suco, café e refrigerantes. Usamos essa mistura por representar melhor o que a maioria dos norte-americanos consome. Durante o outro teste, os indivíduos consumiram a mesma quantidade de líquido, mas a mistura de bebidas incluía apenas suco, café e refrigerantes — sem água pura. Com a análise dos resultados, não encontramos nenhuma diferença nos marcadores da hidratação, o que sugere que, embora precise de água, o corpo não requer água pura por si desde que sejam consumidas quantidades apropriadas de outras bebidas.

Para entender por que isso acontece, pense na “água” como um nutriente de que seu corpo precisa. O nutriente “água” está presente na água pura, obviamente. Mas também está presente em outros líquidos, como suco, café e outras bebidas, bem como na maioria dos alimentos, em quantidades variadas. Esse nutriente “água” é absorvido pelo corpo e tem a mesma fisiologia, independentemente de sua fonte alimentar.

Fonte: The Coca-Cola Company – Instituto de Bebidas para Saúde e Bem-Estar.

CYMERA_20131009_142244

Material da Coca-Cola distribuído durante o Congresso da Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição 2013.

A informação parece um tanto quanto duvidosa, não?! Ao fazer uma busca em documentos científicos e oficiais encontramos os seguintes dados:

  • IOM (2005): A água é essencial para a homeostase celular e para a vida. O consumo total de água inclui água potável/filtrada/mineral, água presente nas bebidas, além da água presente nos alimentos. O consumo adequado de água total é de cerca de 3,7L para homens e de 2,7L para mulheres. Já o consumo adequado de água “fluida”, proveniente de água e bebidas, é de aproximadamente 3L e 2,2L para homens e mulheres, respectivamente.
  • EFSA (2010): A água está envolvida em praticamente todas as funções do corpo humano. É particularmente importante para a termorregulação. O “consumo total de água” é equivalente à água presente nos alimentos e nas bebidas, bem como a própria água. A maioria das pessoas obtém cerca de 80% do total de líquidos a partir da água e de outras bebidas, sendo os 20% restantes provenientes dos alimentos.

Todos eles mostram a importância de se consumir líquidos ou um total de água para manter um equilíbrio no organismo. Ok, a Coca-Cola não mentiu. Mas ela contou a verdade apenas de um lado. Primeiramente, é verdade que precisamos consumir líquidos para nos manter hidratados, PORÉM, se esses líquidos ingeridos forem provenientes, em sua maioria, de sucos e refrigerantes, o indivíduo estará consumindo muito mais que água, mas também uma quantidade provavelmente excessiva de energia, nutrientes e ingredientes que compõem esses produtos. Já falamos aqui exaustivamente de como as bebidas industrializadas (como sucos, chás e refrigerantes) apresentam quantidades excessivas de açúcar em sua composição, além é claro dos aditivos como corantes, conservantes e tantos outros encontrados nessas bebidas.

águaQuem é que não tem um primo, um tio ou apenas um conhecido que não toma NADA de água, mas se hidrata somente com refrigerantes? Ou sucos de caixinha? Essas pessoas, mais cedo ou mais tarde, apresentam desequilíbrios no funcionamento do seu organismo, que culminam no aparecimento de gastrites, pré-diabetes ou diabetes, ganho de peso e até obesidade. Enfim, o que gostaríamos de ressaltar é que a hidratação proveniente apenas ou majoritariamente de bebidas (que não a água) não é algo saudável.

Lembrando que as principais funções da água no organismo são:

  • Transporte – de nutrientes para as células e de substâncias tóxicas para fora do corpo;
  • Excreção – de produtos resultantes do metabolismo. Através dos rins, são excretadas as substâncias que o corpo não necessita;
  • Solvente – como meio onde se dão todas as reações;
  • Regulação da temperatura corporal – quando o corpo está excessivamente quente, aumenta substancialmente a sudorese a fim de liberar calor através da evaporação. Ao suarmos, a água que existe no suor evapora-se à superfície da pele, produzindo a diminuição da temperatura corporal.
  • Participação em reações enzimáticas – facilita a digestão, por exemplo.

Além disso, uma desidratação continuada tem efeitos no organismo, a médio e a longo prazo, em diversos sistemas como:

  • Renal;
  • Circulatório;
  • Respiratório;
  • Cognitivo;
  • Digestório, entre outros.

Informações “maquiadas” como essa acabam incentivando hábitos nada saudáveis em muitas pessoas…

Também revoltados com essa novidade da Coca Cola, o pessoal do Movimento Infância Livre de Consumismo fez a crítica abaixo:

coca-cola

Fonte: MILC.

De fato, faltava a Coca-Cola para “resolver” nossos problemas…

#EraSóOQueFaltava!

Referências:

INSTITUTE OF MEDICINE, Food and Nutrition Board. Dietary Reference Intakes For Water, Potassium, Sodium, Chloride, and Sulfate. 2005.

 European Food Safety Authority (EFSA). Scientific Opinion on Dietary Reference Values for Water. EFSA Journal 2010; 8(3):1459.

1 comentário

Arquivado em Notícias

Propaganda honesta da Coca Cola

Por Camila Araújo e Camila Leão. 

Como seria um comercial da Coca Cola se essa empresa fosse realmente sincera com seus consumidores?!

O vídeo abaixo cria esse comercial, de forma irônica e crítica, mostrando imagens que realmente são utilizadas nos comerciais da Coca Cola, mas com uma narração honesta a respeito de suas bebidas e das consequências de seus consumo.

“Há cerca de 125 anos nós estamos unindo as pessoas. Dentre as aproximadamente 650 bebidas que nós produzimos, atualmente existem 180 opções de baixa ou nenhuma caloria, sendo que mesmo com calorias reduzidas esses produtos ainda podem causas malefícios como a obesidade, hipertensão arterial, problemas renais, entre outros.

Além dessas 180, ainda são produzidas 470 bebidas altamente calóricas – com base em açúcares de rápida absorção e xarope de frutose. Esses produtos causam um pico de açúcar e de insulina no sangue, o que pode gerar inflamação e resistência à insulina, sendo que esses dois problemas podem ser causadores de outros mais graves como acidente vascular cerebral (AVC), doenças cardiovasculares, diabetes, obesidade, aumento do colesterol e câncer. A American Heart Association recomenda o consumo de no máximo 450 calorias por semana provenientes de bebidas açucaradas – a quantidade presente em aproximadamente 3 latas de refrigerante.

As ações contra a obesidade dependem também do conhecimento da população, visto que é preciso considerar o fato de que as calorias não são todas iguais, e as calorias provenientes da Coca Cola não tem nenhum valor nutricional. Se você quer ter um estilo de vida saudável, você não deveria consumir nenhum de nossos produtos. Se você tomar Coca Cola você vai ficar cada vez mais gordo! A solução é simples e está bem em frente dos seus olhos: NÃO BEBA COCA COLA! Isto está matando você e a sua família!

Coca Cola: nós somos parcialmente responsáveis pelo problema da obesidade!”

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

Coca Cola – Você ainda precisa de motivos para não consumir?

Por Camila Leão. 

Os diversos defeitos da Coca Cola já são nossos velhos conhecidos: alto teor de açúcar, sódio, rica em aditivos (como os conservantes e corantes – inclusive o famoso e possivelmente cancerígeno Caramelo IV)… Todos esses fatores contribuem para o desenvolvimento de diversas doenças, sendo que a maioria delas surgirá em médio ou longo prazo. Talvez essa “demora” para o aparecimento das consequências seja uma das causas para que as pessoas continuem consumindo esse veneno.

Quem sabe a opinião dessas pessoas mude, após assistir ao vídeo que conta a história de um consumidor de Coca Cola, que teve prejuízos imediatos ao ingerir o refrigerante. 

Além de fabricar um produto que causa tão mal, a Coca Cola ainda se recusa a ajudar um de seus (infelizes) consumidores, prejudicado com consequências sérias e que serão levadas para a vida toda!

O “detalhe” da cabeça de rato encontrada em uma das garrafas, é também muito chocante, mas precisamos ter consciência que esse é um risco que assumimos diariamente ao consumir alimentos industrializados. Poucas são as grandes indústrias que conseguem manter um  padrão adequado de qualidade higiênico sanitária. Por isso ressaltamos: dê preferência para os alimentos preparados em casa e para tudo que for o mais natural possível! Fazendo isso conseguimos evitar problemas como os apresentados no vídeo.

1 comentário

Arquivado em Notícias

Magic Pills #EraSóOQueFaltava

Coca-Cola lança ‘pílula mágica’ contra obesidade, em ‘pegadinha’.

A Coca-Cola publicou em jornais da Espanha anúncios falsos sobre uma “pílula mágica” contra a obesidade, uma desculpa para fazer com que os interessados parem de procurar soluções mágicas para emagrecer e se exercitem de verdade.

Para ir ao “laboratório” que oferece a pílula, os consumidores enfrentaram dificuldades plantadas pela própria marca, com a ajuda dos familiares dos participantes, que os obrigaram a se exercitar.

Entre os obstáculos, carros que não funcionam, escadas rolantes desativadas e elevadores interditados, ajudar uma velhinha a carregar peso, fugir de um cão bravo e empurrar um táxi quebrado foram algumas das outras atividades dos participantes.

Quando finalmente chegam ao local, eles recebem um vídeo com as imagens dos exercícios que foram obrigados a praticar durante o dia e a mensagem: “a pílula mágica está dentro de você e você pode tomá-la todo dia”.

Fonte: CCSP.

A criação faz parte do projeto que propõe o abandono de soluções fáceis para a adoção de exercícios de verdade, numa campanha chamada “Cambia las Estatisticas” (Mude as Estatísticas) – já que muitos estudos mostram o aumento dos índices de sobrepeso e obesidade, não só na Espanha, mas em muitos países.

Concordamos plenamente com o Movimento Infância Livre de Consumismo, ao comentar sobre a campanha: “é um filme publicitário original, inteligente, marketing de primeira de uma corporação que investe bilhões para convencer o planeta que produz artigos necessários de maneira sustentável, gera empregos e é simpática. Sua marca é notória e vende sozinha. Ainda assim ela produz vídeos publicitários como este que nos passa certeiramente a mensagem: Você é gordo porque não se mexe, não temos nada com isso. Mexa-se, emagreça e beba mais do nosso produto cheio de açúcar. E não se esqueça, enquanto estiver em dieta você pode beber nosso produto cheio de sódio”.

Ainda bem que não somos os únicos a achar esse tipo de coisa um absurdo! Infelizmente essas grandes empresas de alimentos e bebidas tendem a culpabilizar o consumidor sobre o problema do excesso de peso, como se esse tipo de produto não fosse nada prejudicial…

Para quem ficou curioso, segue o vídeo da campanha:

Um outra ação foi a de um elevador saudável, que não foge à regra das pílulas e de que a culpa da obesidade é “sua”, porque “você” se movimenta pouco e é sedentário…

#EraSóOQueFaltava!

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias